#227 – La tête en friche

La tête en friche (2010) – Minhas tardes com Margueritte
roteiro: Jean Becker, Jean-Loup Dabadie
direção: Jean Becker

Baseado em livro homônimo de Marie-Sabine, é um filme singelo que tem como premissa um daqueles encontros improváveis que podem mudar a vida das pessoas. Germain (Gérard Depardieu) é um cinquentão – com ênfase no “ão”, pois Depardieu está gigante de gordo – meio analfabeto e avesso à leitura que encontra Margueritte (Gisèle Casadesus), uma senhorinha nonagenária apaixonada por livros, num parque em que ele costuma ‘contar pombos’.

la-tete-en-friche-02-06-2010-3-g[1]

O desenrolar da história é previsível, mas mesmo assim é um filme agradável de se ver, principalmente para amantes da leitura. É muito gratificante ver a forma como Margueritte conduz Germain na descoberta da literatura, cultivando nele o gosto pelos livros, enquanto lê trechos de Camus (O estrangeiro) e Romain Gary (sua autobiografia) e discute com ele sobre ‘a vida, o universo e tudo o mais’. Aliás, o título original faz todo sentido quando se pensa nesse aspecto da história: a mente (ou a cabeça) não cultivada (ou educada).

O que mais impressiona é ver a performance de Casadesus, do alto de seus 95 anos, com uma atuação que quase ofusca Depardieu. É piegas dizer, mas a atriz tem aquele jeitinho de vó que todo mundo gostaria de ter.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *