The good shepherd

meteorologia: chove chuva…
pecado da gula: sorvete de chocolate
teor alcoolico: 2 stella artois
audio: rapaduracast #211
video: quarto do pânico

The good shepherd, direção Robert De Niro

Nem lembro por que incluí este filme na minha lista. Não sei se pela direção de Robert De Niro, já que gostei bastante de “A Bronx tale“. Ou talvez pelo elenco estelar, vários bons atores dão um certo aval a qualquer filme. Ou se foi indicação de alguém. Independente do motivo, apesar da pouca expectativa (ou talvez por causa dela), o filme revelou-se mais do que eu esperava. Conta os primeiros anos da CIA, acompanhando a trajetória de um de seus agentes que, ao assumir o departamento de contra-inteligência e tornar-se posteriormente figura de destaque da agência, vê sua vida pessoal seguir o sentido inverso.

Assim como em “A Bronx tale“, De Niro conduz o elenco com incrível talento. Consegue que a atuação dos atores tenha o tom exato da conspiração e segredo dos assuntos abordados. É como se eles próprios estivessem o tempo todo com a sensação de serem observados. Aliás, o elenco é uma atração à parte, com destaque para Matt Damon, bastante centrado e conciso no papel. Destaque também para os efeitos especiais. Imperceptíveis, na maioria das cenas e, por isso mesmo, extremamente eficazes.

Para quem gosta de história, o filme também é um prato cheio, além de bastante fiel aos fatos. O filme consegue não ser maniqueísta. Sem se focar apenas na rivalidade EUA/URSS, questiona sempre até que ponto a atitude de um homem deve ser contrária a seu caráter sendo propícia a seu país.
O filme, despretenciosamente, prende a atenção do expectador com um roteiro complexo (tanto pelos temas tratados como pela inserção de flashbacks) mas extremamente bem construído, não deixando que se perca o fio da meada em nenhum momento. Creio, no entanto, que uma montagem um pouco mais linear, com menos “vai-e-vens” no tempo favoreceria bastante. No meu entender, ficaria ainda melhor se se “enxugasse” algumas cenas longas com detalhes desnecessários à trama, diminuindo um pouco a duração do filme. Com esses pequenos ajustes, em minha opinião, o filme se tornaria quase perfeito.

Mesmo com esses pequenos “defeitos”, vale a pena ser assistido. Eu recomendo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *