The Adventures of Tintin

The Adventures of Tintin: Secret of the Unicorn (2012) – As aventuras de TinTin
roteiro: Steven Moffat, Joe Cornish, Edgar Wright
direção: Steven Spielberg

Filme de aventura, na mais completa acepção da palavra. Senti-me assistindo a um clássico da Sessão da Tarde. Não há como negar, é um legítimo Spielberg, no melhor estilo do primeiro Indiana Jones. Aliás, Tintin parece um Indiana Jones “mirim”. E alguma cenas do filme lembram muito as cenas de ação da trilogia (o 4o. filme, pra mim, não conta). Aliás, se Spielberg tivesse feito as cenas digitais do 4o.filme com o mesmo cuidado que dedicou a Tintin, certamente o filme seria bem menos ruim – convenhamos, aqueles micos digitais são terrivelmente mal feitos.

tintin

Para quem apenas leu os quadrinhos, o herói parece bem mais ativo, mais esperto, até mais forte. O que faz sentido ao transpor o personagem do quadro estático da HQ para o movimento da película. Os que também assistiram às animações produzidas pela Ellipse/Nelvana não sentirão tanto essa mudança “para mais” nas atitudes do pequeno repórter. Porém, para ambos, é fácil perceber que o filme não segue à risca a estória dos quadrinhos (ou da animação), principalmente no seu último terço. Ou seja, é TinTin, mas não é TinTin, já que o que vemos não é literalmente a reprodução da obra de Hergé. Mas as alterações são perfeitamente justificáveis e não desmerecem em nada o roteiro.

Acredito que fazer o filme utilizando a técnica de motion capture (que tem no Gollum, de “The lord of the rings”, seu melhor exemplo) uma opção bastante acertada. Pois assim, não deixa de ser um “desenho”, uma animação. E permite ao diretor aproveitar ao máximo as possibilidades dessa mídia, sem a necessidade de prender-se às limitações físicas de atores, cenários, etc. Isso é bastante evidente na cena de perseguição numa cidadela marroquina. Apesar de alguns exageros, no geral, funciona muito bem.

Enfim, é diversão garantida. E vale a pena assistir no cinema. O 3D não fez muito diferença, mas também não ficou exagerado a ponto de estragar a experiência. Vale reparar em algumas referências a outros filmes de Spielberg , “Indiana Jones” e “Jaws”. Sem contar as inúmeras referências a outras aventuras de TinTin (um deleite para os fãs dos quadrinhos).