Extremely loud and incredibly close

Extremely loud and incredibly close (2011) – Tão forte e tão perto
roteiro: Eric Roth
direção: Stephen Daldry
2 out of 5 stars

Esse era um dos indicados ao Oscar de melhor filme este ano e que eu ainda não havia assistido. Honestamente, a indicação de Max von Sydow ao prêmio de melhor ator coadjuvante, no meu entender, tinha muito mais sentido. Acredito que a indicação do filme deva-se mais à sua temática do que à qualidade da obra.

Oskar Schell (Thomas Horn) é um garoto de 9 anos cujo pai, Thomas (Tom Hanks), morre durante os ataques ao World Trade Center, no 11/09. Ao encontrar uma chave pertencente ao pai, sai numa jornada por toda Nova York. E, em busca da fechadura a que a chave pertence, encontra pessoas de todos os tipos, todas elas sobreviventes à sua maneira.

extremely loud incredibly close

É um filme mediano. Não é ruim a ponto de eu achar que foi uma perda de tempo assistir. Mas também nao é assim tão bom a ponto de eu me lembrar dele depois de algumas semanas.
Cheio de clichês e muito dependente da suspensão de descrença em vários momentos. Bastante previsível, exceto por uma pequena reviravolta perto do fim que deixa a estória um pouco mais verossímil.

O ator-mirim é muito bom, tanto que a melhor cena do filme é dele, um monólogo contando sua estória ao Locatário (Max von Sydow) de modo bastante visceral.

Assistível e perfeitamente esquecível.

https://www.youtube.com/watch?v=Z_quK9SEGYE

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *