Mission: Impossible – Fallout

Mission: Impossible – Fallout (2018)
roteiro e direção: Christopher McQuarrie

Os filmes de ação hoje em dia estão perdendo a graça. Com o surgimento da computação gráfica, muitos diretores acabaram se acomodando e ao invés de fazer cenas realistas e bem filmadas, optam por um fundo verde e inserção do rosto do ator nos dublês. Missão: Impossível sempre em alguma cena ou aspecto se diferenciou desses filmes, e dessa vez não é apenas uma cena que enche os olhos e sim o filme todo.

Mission_Impossible_Fallout_poster_16[1]

Tom Cruise retorna como o agente Ethan Hunt. E está mais insano do que nunca, perseguições de moto, perseguições a pé, perseguições de helicóptero, tem de tudo e o melhor, sabemos que é o próprio Tom Cruise que está lá. Ele continua a parceria com o diretor do último filme, Christopher Mcquarrie, que apesar de ser o primeiro a dirigir dois filmes da franquia, não se acomodou e surpreendentemente criou um novo estilo. A fotografia do filme juntamente com a operação de câmera está incrível, principalmente na última perseguição e no plano sequência. A trilha é de Lorne Balfe, ele pega o tema clássico e o modifica em algumas partes, alonga umas, encurta outras, ele também trás de volta temas dos outros filmes.

A trama se dá com Hunt iniciando uma missão com um assistente de outra agência (Henry Cavill), por esse motivo a relação com os outros personagens é deixada de lado, nada que seja ruim, apenas se senta a falta deles.

Missão: Impossível – Fallout, dá uma lição para os outros filmes de ação por meio de ótimas cenas de luta, perseguições tensas e história intrigante.